quem somos?

Nós somos a cooperativa de crédito mútuo dos servidores do Poder Legislativo Federal e do Distrito Federal. Nascemos no dia 08.12.1998 com 22 sócios fundadores; todos servidores da Câmara dos Deputados, Senado Federal e Tribunal de Contas da União. Atualmente, contamos com cerca de 1.712 cooperados (dados 2020). Autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil em 04.05.1999, por despacho exarado no processo nº 9900923235-DEORF-99/00, publicado no Diário Oficial do dia 06.05.1999.

Estatuto
Social

O estatuto social é o conjunto de normas que regem funções, atos e objetivos desta Central, é elaborado para atender às necessidades da Central e de suas filiadas | Leia Mais...
visualizar

DIREITOS &
DEVERES

Tomar parte nas assembléias gerais, discutir e votar os assuntos que nelas forem tratados, ressalvadas as disposições legais ou estatutárias. Ser votado para os cargos sociais | Leia mais...
visualizar


Por determinação do Banco Central do Brasil, as cooperativas com mais de 3.000 associados, são representados nas assembleias por delegados eleitos pelos demais associados, com direito a voz e voto.

DIREITO DOS ASSOCIADOS:

I. Tomar parte nas assembléias gerais, discutir e votar os assuntos que nelas forem tratados, ressalvadas as disposições legais ou estatutárias;
II. Ser votado para os cargos sociais, desde que atendidas as disposições legais ou regulamentares pertinentes;
III. Propor, por escrito, medidas que julgar convenientes aos interesses sociais;
IV. Beneficiar-se das operações e dos serviços prestados pela Cooperativa, observadas as regras estatuárias e os instrumentos de regulação;
V. Examinar e pedir informações, por escrito, sobre documentos, ressalvando os protegidos por sigilo;
VI. Tomar conhecimento dos normativos internos da Cooperativa;
VII. Demitir-se da Cooperativa quando lhe convier.

O associado que aceitar e estabelecer relação empregatícia com a Cooperativa, perde o direito de votar e ser votado, conforme previsto neste artigo, até que sejam aprovadas as contas do exercício em que ele deixou o emprego. Também não pode votar e ser votado o associado pessoa física que preste serviço em caráter não eventual à Cooperativa, que é equiparado a empregado da Cooperativa para os devidos efeitos legais. O associado presente à Assembleia Geral terá direito a 01 (um) voto, qualquer que seja o número de suas quotas-partes.

DEVERES DOS ASSOCIADOS:

I. Satisfazer, pontualmente, os compromissos que contrair com a Cooperativa;
II. Cumprir as disposições deste Estatuto Social, dos regimentos internos, das deliberações das Assembléias Gerais, do Conselho de Administração, da Diretoria Executiva, bem como os instrumentos de regulação e as instruções emanadas da cooperativa central a que estiver filiada e do Sicoob Confederação;
III. Zelar pelos interesses morais e materiais da Cooperativa;
IV. Responder pela parte do rateio que lhe couber relativo às perdas apuradas no exercício;
V. Respeitar as boas práticas de movimentação financeira, tendo sempre em vista que a cooperação é obra de interesse comum ao qual não se deve sobrepor interesses individuais;
VI. Movimentar seus depósitos à vista e a prazo, preferencialmente, na Cooperativa;
VII. Manter as informações do cadastro na Cooperativa constantemente atualizadas;
VIII. Não desviar a aplicação de recursos específicos obtidos na Cooperativa, para finalidades não propostas nos financiamentos, permitindo, quando for o caso, ampla fiscalização da Cooperativa, das instituições financeiras participantes e do Banco Central do Brasil;
IX. Comunicar ao Conselho de Administração, ao Conselho Fiscal e à Diretoria Executiva, por escrito e mediante protocolo, se dispuser de indícios consistentes, a ocorrência de quaisquer irregularidades, sendo vedados o anonimato e a divulgação interna ou externa, por qualquer meio, de fatos ainda não apurados, e ainda a divulgação fora do meio social de fatos já apurados ou em apuração.

Princípios Cooperativistas

Princípios cooperativistas são as linhas orientadoras através das quais as cooperativas levam à prática os seus valores. As cooperativas são organizações voluntárias, abertas a | Leia mais...
visualizar

1º Princípio - Adesão Livre e Voluntária:

As cooperativas são organizações voluntárias, abertas a todas as pessoas aptas a utilizar seus serviços e assumir responsabilidades como associados, sem discriminação social, racial, política, religiosa e de sexo. O princípio da porta aberta, todavia, não deve ser tomado com um sentido absoluto.

2º Princípio - Gestão Democrática pelos Cooperados:

As cooperativas são organizações democráticas, controladas por seus associados, que participam ativamente na formulação de suas políticas e na tomada de decisões. A gestão democrática é a essência operacional do cooperativismo.

3º Princípio - Participação Econômica dos Cooperados:

Os cooperados contribuem eqüitativamente para o capital de suas cooperativas e o controlam democraticamente. Pelo menos parte deste capital é, normalmente, propriedade comum da cooperativa. Os associados recebem, habitualmente, uma limitada remuneração – se houver – ao capital subscrito, como condição de sua adesão. Os excedentes são destinados a um ou mais dos seguintes objetivos:
  • desenvolvimento de suas cooperativas, eventualmente por intermédio da criação de reservas, parte das quais, pelo menos, será indivisível.
  • benefício dos associados, na proporção de suas transações com a cooperativa.
  • apoio a outras atividades aprovadas pelos associados.

4º Princípio - Autonomia e Independência:

As cooperativas são organizações autônomas, de ajuda mútua, geridas pelos seus membros. Se firmarem acordos com outras organizações – incluindo instituições públicas – ou recorrerem a capital externo, devem fazê-lo em condições que assegurem o controle democrático pelos seus associados e se mantenha a autonomia das cooperativas.

5º Princípio - Educação, Formação e Informação:

As cooperativas promovem a educação e a formação dos seus associados, eficazmente para o desenvolvimento das suas cooperativas. Informam o público em geral, particularmente os jovens e os líderes de opinião, sobre a natureza e as vantagens da cooperação.


6º Princípio - Intercooperação:

As cooperativas servem de forma mais eficaz a seus membros e dão mais força ao movimento cooperativo, trabalhando em conjunto, por intermédio das estruturas locais, regionais, nacionais e internacionais.


7º Princípio - Interesse pela Comunidade:

As cooperativas trabalham para o desenvolvimento sustentado de suas comunidades, por meio de políticas aprovadas pelos seus associados.

Números do Sicoob Legislativo

Clique na imagem para ampliar

dados: dez/2020